loading...

Murraya paniculata - Crescimento Rápido e Homogêneo




Nome Científico: Murraya paniculata
Nomes Populares: Murta-de-cheiro, Dama-da-noite, Jasmim-laranja, Murta, Murta-da-índia, Murta-dos-jardins
Família: Rutaceae
Categoria: Arbustos, Árvores, Árvores Ornamentais, Cercas Vivas
Clima: Continental, Mediterrâneo, Subtropical, Tropical
Origem: Ásia, Índia, Malásia
Altura: 4.7 a 6.0 metros, 6.0 a 9.0 metros
Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
Regas: Periódicas
Solo: Fértil, drenável, rico em matéria orgânica
Pragas e Doenças: Sensível a cochonilhas, pulgões, nematódios, mosca-branca e clorose férrica
Ciclo de Vida: Perene
Propagação: Sementes ou estaquia dos ramos semi-lenhosos
Curiosidades: Na antiguidade, os ramos floridos de murta-de-cheiro eram usados para confeccionar arranjos que adornavam os cabelos das noivas.





A Murraya paniculata é uma espécie originária da Ásia e pertencente a família botânica Rutaceae, que no Brasil ficou conhecida por diversos nomes populares, entre eles os mais divulgados são Murta-de-cheiro, Dama-da-noite, Jasmim-laranja, Murta, Murta-da-índia ou Murta-dos-jardins e se tornou uma espécie muito usada em calçadas e cercas vivas e na medicina popular.
A Murraya paniculata é uma planta que por ser aparentada com as laranjas e limões (cítricas) tem sofrido com sua erradicação precipitada em algumas cidades produtoras de laranjas, tanto na área urbana como na rural. O receio dos produtores de laranja é que a Murraya possa infectar as plantações com uma doença virótica chamada greening, já que ela é hospedeira do inseto, psilídeo Diaphorina citri, que transmite a doença (causada pela bactéria Candidatus Liberibacter americanus).
Uma variedade anã da Murraya tem sido muito usada na Malásia, Indonésia e China para a formação de bonsais, sendo que esta variedade é bem menor do que a tradicional, em especial nas folhas que são pequenas e delicadas, muito ornamentais.
A tradicional murta-de-cheiro é um arbusto grande que pode alcançar até 7 metros de altura apresenta ramagem lenhosa e bastante ramificada. Suas folhas pinadas, com 3 a 7 folíolos pequenos, elípticos, glabros, perenes, brilhantes e de coloração verde-escura são seu principal atrativo.
Suas flores brancas exalam perfume que lembra jasmim e flor-de-laranjeira, os seus frutos são do tipo baga, oblongos, carnosos, pequenos, de coloração vermelha a alaranjada, muito apreciados pelos pequenos pássaros.





A espécie que se desenvolve rapidamente quando jovem, se tornou uma das espécies preferidas para a formação de cercas vivas, inclusive se tornando planta invasiva quando não controlada. Podas de formação e desfolhamento na Primavera estimulam a renovação da folhagem e adensamento da planta.
Desenvolve-se melhor em sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, drenável, rico em matéria orgânica e com regas periódicas, principalmente no primeiro ano após o plantio.
De clima tropical a Murta não resiste a geadas, tolerando o frio desde que seja moderado.
Para fortificar a planta e prevenir a clorose férrica faça adubações semestrais com quelatos de ferro. Multiplica-se por sementes ou estaquia dos ramos.



Circulo do Verde

Conheça melhor o autor deste blog seguindo o perfil Circulo do Verde nas redes sociais.